sábado, 28 de maio de 2011

A primeira mulher portuguesa a votar, fê-lo há 100 anos!


Já aqui dissemos, mas nunca é demais recordar que Carolina Beatriz Ângelo foi a primeira mulher portuguesa a votar.

Votou nas eleições para a Assembleia Constituinte em 1911, precisamente
há cem anos! A esse propósito, recomendo este excelente trabalho de São José Almeida que saiu hoje no Jornal Público.


Excelente filme!

"Três mulheres partilham a mesma sensação: todas elas foram profundamente afectadas pela adopção.

Karen (Annette Bening) uma mulher de meia-idade, amarga e solitária, engravidou aos 14 anos e na altura não teve outra escolha que não a de entregar a criança para adopção. Porém nunca conseguiu ultrapassar o trauma de nunca ter conhecido a filha.

Elizabeth (Naomy Watts), criada como filha adoptiva, é hoje uma brilhante e ambiciosa advogada que nunca procurou o rasto da sua mãe biológica até ao dia em que engravida.
Lucy (Kerry Washington), por seu lado, está, juntamente com o seu marido, determinada em enfrentar uma odisseia para adoptar uma criança que se torne sua.
Confrontadas, simultaneamente, com uma importante escolha de vida, as 3 mulheres vêem os seus destinos cruzarem-se de uma forma inesperada.

Produzido por Alejandro Gonzalez Inarritu, realizador de Babel e Biutiful, com poderosas interpretações..."


Um filme repleto de emoções fortes e sentimentos controversos."


sexta-feira, 27 de maio de 2011

Andar para trás? Não, obrigada!

Em declarações à Rádio Renascença ontem o líder do PSD, o Dr. Pedro Passos Coelho que quer reavaliar lei do aborto e admitiu novo referendo. Considera que a lei, aprovada pelo Parlamento, e com a qual concordou, pode “ter ido um pouco longe demais” e tem de ser reavaliada, não excluindo a possibilidade de realização de um novo referendo sobre a matéria!

Pois eu tenho a opinião contrária Dr. Passos Coelho, eu acho que nós esperamos foi tempo demais por esta lei! Portugal foi um país que até ao séc. XXI (precisamente, 2007) obrigava as mulheres a colocar a sua vida em perigo, persegui-as e chegou mesmo a condenar algumas com vários anos de prisão!

Com esta lei, demos um enorme passo à frente no que diz respeito aos direitos humanos e aos direitos das mulheres e, obviamente, as suas declarações foram acolhidas com grande indignação tanto pelas pessoas que votaram SIM ao aborto, como pelas pessoas que lutaram para isso durante mais de três décadas!

Veja, por exemplo,

Sugestão de Passos Coelho põe em causa luta de três décadas das mulheres portuguesas - UMAR

UMAR contra proposta de Passos Coelho sobre lei do aborto

De facto, organizações, como a UMAR, tiveram um papel fundamental ao longo de todos estes anos, trabalhando pelo direito à dignidade das mulheres e por um direito de escolha que antes lhes era negado no nosso país. E esse direito foi legitimado pelo referendo de 2007. Por isso, há que respeitar a vontade das pessoas!

A dirigente da UMAR, Manuela Tavares, considerou um absurdo que o debate sobre o aborto surja nesta campanha, é “triste que um líder político à busca de votos” procure “agradar nas áreas mais conservadoras e retrógradas”! É uma contradição!

Também a Associação para o Planeamento da Família (APF) rejeita a reavaliação da lei do aborto, lembrando que lei do aborto tem sido sempre avaliada desde que entrou em vigência há quatro anos. Duarte Vilar, da APF, referiu que, ao contrário do que afirmou o Dr. Passos Coelho, a “lei tem sido objecto de avaliações várias: todas as IVG estão registadas, a Direcção-Geral de Saúde tem feito relatórios semestrais e anuais sobre a IVG, tem havido inspecções aos serviços de IVG feitas pela Inspecção-Geral da Saúde e têm ocorrido encontros anuais de profissionais envolvidos nos serviços de IVG de todo o país”.

Segundo Manuela Tavares, o número de abortos tem diminuído. Por isso, este facto já é uma vitória para a lei, para as mulheres e para o país! Mas nada melhor do que ouvir a Própria Professora Manuela Tavares:

sábado, 21 de maio de 2011

Amelia Earhart e a realização de um sonho...ou não!

Hoje vi, finalmente, “Amelia”, um filme com Hilary Swank, Richard Gere e Ewan McGregor. Retrata a vida de Amelia Mary Earhart, pioneira na aviação dos Estados Unidos, autora e defensora dos direitos das mulheres.

Amelia Earhart recebeu uma condecoração por ter sido a 1ª mulher a voar sozinha sobre o oceano Atlântico. Bateu diversos outros recordes, escreveu livros sobre suas experiências de voo, e foi essencial na formação de organizações para mulheres que desejavam pilotar.

O seu modo de vida, o seu espírito de aventura, a sua carreira e o modo como desapareceu fascinam as pessoas até hoje. Amelia Earhart é, de facto, um exemplo de como a persistência pode ajudar a conseguir realizar um sonho!
Aqui fica um cheirinho.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Será a justiça neutra? - "A violência das coisas"!

Ainda a propósito do acórdão de 13.04.2011 do Tribunal da Relação do Porto, que absolveu o psiquiatra João Villas-Boas da prática do crime de violação sexual, finalmente, vejo um excelente artigo «A violência das coisas», da autoria da Professora Doutora Teresa Pizarro Beleza, que também pode encontrar no site da Faculdade de Direito da UNL.

Revela bem como a nossa justiça já está velhinha, retrógrada, e começa a estar cega e surda... na minha opinião, em casos assim mais valia era ficar muda!


terça-feira, 17 de maio de 2011

Hoje, 17 de Maio, assinala-se o Dia Mundial de Luta contra a Homofobia e Transfobia


É tempo de «romper o silêncio e combater a vergonha». Para tal, há várias iniciativas organizadas para hoje, como pode ver aqui:

Para participar neste evento e «assinalar a luta contra a homofobia e a transfobia e em memória das pessoas que sofreram violência ou morreram por estas razões», use uma peça de roupa roxa.

sábado, 14 de maio de 2011

NÃO é NÃO!


NÃO é NÃO!

SOMOS MULHERES
E RECUSAMO-NOS A SER VIOLADAS...
AINDA QUE "GENTILMENTE"!

QUEREMOS JUSTIÇA!

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Seminário Internacional Carolina Beatriz Ângelo


Por iniciativa da UMAR em parceria com CEMRI, Faces de Eva e APEM, o Seminário ocorre no dia 28 de Maio, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa. Auditório 1.

A entrada é gratuita e com direito a Certificado de Presença, mediante preenchimento da Ficha de Inscrição e respectivo envio para:

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Violência Doméstica – Números assustadores


É de salientar que, desde que a violência doméstica é crime público que as denúncias de violência doméstica têm vindo a aumentar, em média, 12% ao ano.

De
2008 para 2009, as denúncias aumentaram 10%, mas de 2009 para 2010 o aumento já foi muito inferior (2%).

No entanto, continuam a ser números assustadores.

Por isso, volto a salientar. É importante que não se cale, denuncie, identifique!

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Histórias de paixão!

Apaixonadamente, Isabel Allende conta-nos histórias tristes que ilustram muito bem a importância de continuar a haver os feminismos!