sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Há um novo grupo no Facebook que se chama “Mulheres do Séc. XXI”!

Desabafo!

Há um novo grupo no Facebook que se chama “Mulheres do Séc. XXI”.

Como é óbvio, fui logo espreitar a informação disponível, pois (agora admito, ingenuamente) o meu primeiro pensamento foi que me iria identificar com o dito!
Pessoalmente, não me atrai, por aí além, a ideia de aderir a um grupo só de mulheres e acho que, neste caso, foi sobretudo o facto de pensar que seriam mulheres com uma mentalidade do séc. XXI que me moveu ;o)
Pois, estava errada!
Trata-se de “um grupo de mulheres que pretende reunir periodicamente profissionais de todas as áreas, cujo ponto em comum é a preocupação com a actual crise de valores da sociedade”. Até aqui, enfim, não há nada de muito importante a assinalar. Sempre houve e choque entre gerações.
No entanto, para que não restem dúvidas, rapidamente nos clarificam, com a seguinte informação: “Não somos feministas nem activistas, somos femininas e activas!"
Logo aqui, senti-me excluidíssima!
Vão mais longe e terminam dizendo que o “objectivo desta rede é reunir mulheres conscientes, que tenham dinamismo e vontade de fortalecer o papel social da mulher neste século.”
Aqui recordei-me de uma frase que um Prof. meu nos disse, a nós alunos/as, um dia numa aula e percebi como ainda tenho de crescer como pessoa e como pedagoga.
Disse ele que nós ainda só tínhamos uma pequena visão sobre as coisas, como se fossemos patos/as num lago (que só têm a percepção do que vêem à sua volta), e que o que era necessário era termos uma visão de águia (que, como voava sobre o lago, tinha uma percepção do todo).
Desde essa altura, já cresci bastante, mas, aparentemente, não o suficiente. Estive ali, um bom momento, hesitante sobre o que devia fazer. Podia ter optado por entrar no grupo e aproveitar para informar/educar essas mulheres sobre o que é ser feminista e o que é ser activista, mas não! Ainda tentei, mas ao ver as fotos do primeiro almoço...perdi a energia por completo, admito.
Elas procuram apenas manter o status quo e eu ainda tenho muito que crescer :o(
Mas fiquei curiosa em relação a algumas questões. A que será que se referem quando falam:

- da “actual crise de valores da sociedade?
- do papel social da mulher neste século?

Tanto trabalho tem sido feito com o objectivo de vivermos em igualdade e depois vemos isto... desmoraliza qualquer pato/a!

5 comentários:

Boneca de Trapos disse...

muito interessante. Também destaquei a expressão "fortalecer o papel social da mulher". Imagino que o papel social da mulher seja o mesmo compreendido pela família como instituição patriarcal. Cada vez mais tenho a sensação que as mulheres que se dizem "modernas" (ou, no caso, "do século XXI") são aquelas que menos o são. é mesmo caso para "qualquer pato/a" ficar demoralizado/a.

Anónimo disse...

Aposto que são beatas, tipo "Mulheres em Acção" ou outros grupos da treta.

Maria Helena Santos disse...

Exactamente! E o problema é que estou cada vez mais ciente de que fazem parte da maioria :o(

Anónimo disse...

Maioria??? Qual maioria? A maioria dos grupos do Facebook? A maioria da sociedade(espero que não!)? Gostaria que a Maria Helena Santos me explicasse...

Maria Helena Santos disse...

Anónimo,
Antes de mais, devo dizer-lhe que preferia que se identificasse.

De qualquer forma, em relação a esta questão, posso dizer-lhe que sim, infelizmente, referia-me às mulheres portuguesas, em geral.
Pelo que tenho constatado ultimamente, aqui e ali, cada vez mais me parece que as mulheres (obviamente excepto as mulheres conscientes mais do problema da desigualdade, as activistas, ou feministas), mesmo as que estão mais emancipadas, não estão muito preocupadas com as questões feministas, nem com a mudança de papeis, etc...antes parecem afirmar-se enfatizando a feminilidade.
Não lhe parece?