sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Mais um momento histórico!

Mais um momento histórico, em termos de igualdade de género, a nível mundial!

A Presidente Dilma Rousseff foi a primeira mulher a abrir o Debate Geral da 66ª Assembleia-Geral da ONU, em Nova York. Como a própria Dilma Rousseff, (...) pela primeira vez, na história das Nações Unidas, uma voz feminina inaugurou o Debate Geral. É a voz da democracia!... É a voz da democracia e da igualdade (...)!”

5 comentários:

Gustavo Mackyperson disse...

Muito bom!! Belo discurso !!

Maria Helena Santos disse...

É verdade! E vai ficar para a História ;o)

Jairo Filipe disse...

Se não devíamos discriminar ninguém em funçãode sexo, qual o motivo para louvarmos o discurso desta terrorista aliada de Fidel Castro e Hugo Chávez, apenas porque ela é mulher?

Obrigado.

Maria Helena Santos disse...

Jairo,
Tem razão, não devíamos, de facto, discriminar ninguém em função do sexo. Infelizmente, ainda há muito caminho a percorrer para que haja igualdade de género e é por essa razão que momentos como este ainda são assinalados. São momentos históricos. Além disso, podem servir de exemplos para outras mulheres; exemplos de que é possível lá chegar.
Agora, mais uma vez, sublinho que não devemos generalizar, tal como os homens não são todos iguais, as mulheres também não o são.
A Dilma Rousseff é Presidente há relativamente pouco tempo, ainda não temos uma ideia real dela, mas temos um mau exemplo vindo da Alemanha. Todas/os sabemos que na política, há outras variáveis que pesam, muitas vezes, mais do que o sexo. É o caso da ideologia. Não concorda?

Jairo Filipe disse...

«A Dilma Rousseff é Presidente há relativamente pouco tempo, ainda não temos uma ideia real dela,»

Maria Helena Santos,

a Dilma Rousseff não nasceu, muito menos se tornou política, só no dia em que se tornou Presidente.

http://www.midiasemmascara.org/mediawatch/noticiasfaltantes/foro-de-sao-paulo/11603-elogios-das-farc-a-dilma-confirmam-complo.html

Dilma é aliada de Chávez e Fidel. A herdeira de Lula da Silva, o lacaio do Foro de Sâo Paulo:

http://www.endireitar.org/site/artigos/foro-de-sao-paulo

« mas temos um mau exemplo vindo da Alemanha.»

Sem dúvida. Concordo que a senhora Merkel também não é um bom exemplo de líderança político.

« Todas/os sabemos que na política, há outras variáveis que pesam, muitas vezes, mais do que o sexo. É o caso da ideologia. Não concorda?»

Por isso me admiro que elogiem Dilma, por ela ser mulher. Não faz sentido. Mais valia admitirem que a admiram pelas suas ideias esquerdistas.

Suponho que o vosso blogue não tenha celebrado a eleição da doutora Manuela Ferreira Leite para presidente do PSD ( a primeira mulher a liderar um partido em Portugal). E se Michele Bachman ou Sara Palin fossem candidatas ou mesmo ocupantes da Casa Branca, aposto que também não o fariam.

O que temos é o Brasil liderado por uma pessoa com passado terrorista e com ligações ao narcotráfico ( FARC Colombianas) e ditaduras socialistas ( Chávez, Fidel, etc):

Foi esta a voz que inagurou o tal Debate Geral na ONU. Que importa que seja mulher?